terça-feira, 29 de novembro de 2016

Primeiras Palavras - A Célula Adormecida

A Célula AdormecidaA Célula Adormecida by Nuno Nepomuceno
My rating: 5 of 5 stars

UAU! O que dizer deste livro? Está aqui uma história fantástica. O Nuno teve o trabalho incrível de pesquisa tanto histórica, como religiosa, politica e económica. É um livro actual, que levanta tantas questões e receios. Quando comecei a ler o livro, aquelas primeiras páginas abalaram-me. Senti fisicamente o desespero. Apesar de ser um livro ficcional, muito dos acontecimentos aqui narrados são verídicos. Não é um livro que se leia e se diga: "Não! Isto nunca poderá acontecer.". É um daqueles casos em que a ficção se confunde com o real e isso assusta. O mundo hoje está tão louco e perdido. Vejo este livro como um despertar, como uma tomada de consciência para a realidade. Tenho de dar os meus parabéns ao Nuno. Este livro está incrível. Leitura obrigatória para todos quantos gostam de um bom thriller, mas também para todos os que se preocupam com os actuais conflitos no mundo. LEIAM, LEIAM, LEIAM.

Opinião mais completa em breve!

NOVO LIVRO de Paula Hawkins



A autora Paula Hawkins, anunciou na sua página de Facebook, novo livro para 2017. O livro chama-se "Into the Water" e o lançamento está agendado para 2 de Maio de 2017. A Topseller irá publicar o livro em simultâneo com o lançamento mundial do livro. São notícias fantásticas! Depois do sucesso do primeiro livro "A Rapariga no Comboio", os fãs estarão ansiosos por ler este segundo livro. Eu sei que estou!

«Desconfie de uma superfície tranquila: nunca se sabe o que se esconde por debaixo dela.». Com a mesma intensidade que cativou milhões de leitores de todo o mundo com o seu romance de estreia «A Rapariga no Comboio», Paula Hawkins apresenta agora uma história perturbadora, imprevisível e complexa, passada numa pequena localidade ribeirinha. Quando os corpos de uma mãe solteira e da sua filha adolescente aparecem no fundo do rio, com poucas semanas de intervalo, a investigação subsequente descobre uma história labiríntica.

Tal como em «A Rapariga no Comboio», o novo romance de Paula Hawkins, «Into the Water», apoia-se na forte consciência do que são os instintos humanos e do mal que estes podem causar.

A agente literária de Paula Hawkins, Lizzy Kremer, diz: «Into the Water é um livro incrivelmente negro e tocante. Só a Paula Hawkins podia tê-lo escrito. É um livro duro e original, que consegue ser ao mesmo tempo um thriller extraordinário e um belíssimo romance.»

Saibam um pouco mais sobre o livro aqui.

Passatempo Nuno Nepomuceno - A Célula Adormecida


Com o precioso apoio do Nuno Nepomuceno, temos para oferecer um exemplar do livro A Célula Adormecida. Para se habilitar a ganhar este exemplar, só tem de preencher correctamente o formulário e ler com atenção as regras do passatempo. 

Regras do passatempo:
Ser seguidor do blogue Manta de Histórias (Para ser seguidor, basta clicar em "aderir a este site" na barra lateral direita do blogue.)
Ser fã da página do Manta de Histórias e do Nuno Nepomuceno no Facebook.
Partilhar publicamente este passatempo. 
O passatempo é válido de 29 de Novembro até à 00h00 de 06 de Dezembro.
Só é válida uma participação por pessoa e residência, de residentes em Portugal Continental e Ilhas. 
O vencedor será sorteado aleatoriamente (random.org) pela administração do blogue, contactado por e-mail e o resultado será anunciado no blogue. 
O blogue e o autor não se responsabilizam por eventuais extravios no envio do livro por correio.
Boa sorte!

a Rafflecopter giveaway

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Gloria in Excelsis: As Mais Belas Histórias Portuguesas de Natal Seleção de Vasco Graça Moura - Reedição Quetzal


Género: Literatura / Antologia
Formato: 15 x 23,5 cm
N.o de páginas: 480
Data de lançamento: 25 de novembro de 2016
PVP: € 17,70
ISBN: 978-989-722-340-2

Sinopse
«[...] a festividade religiosa (do presépio à missa do Galo) e a sua paralela celebração secular e jubilante quase sempre no plano da família; o contraste mais ou menos chocante entre Graça e desgraça, ou entre grupos e condições sociais; o regresso de alguém que, regra geral, estava ausente havia muito; a evocação do tempo e das vivências do passado; a reconciliação entre os homens; por vezes o sofrimento, a tragédia ou a violência numa quadra que não deveria comportá-los; quase sempre a ruralidade do meio em que a acção decorre (nesta colectânea, todavia, com algumas excepções nítidas); como cenário de fundo, é frequente a contraposição do mau tempo (chuva, frio, neve, ventania) a um ambiente aconchegado e familiar.» [Vasco Graça Moura]

Vasco Graça Moura (Foz do Douro, 1942-2014), foi poeta, ficcionista, ensaísta, cronista e tradutor, além de ter desempenhado importantes cargos de relevância pública na vida portuguesa dos últimos cinquenta anos. Entre as inúmeras distinções que lhe foram atribuídas, contam-se, nomeadamente, o Prémio Pessoa, o Prémio Vergílio Ferreira, o Grande Prémio de Romance e Novela da APE, o Prémio de Poesia do PEN Clube, o Prémio Eça de Queiroz, o Prémio de Tradução Paulo Quintela, o Prémio Europa David Mourão-Ferreira, o Grande Prémio de Poesia da APE, o Prémio Max Jacob de Poesia, o Prémio de Tradução do Ministério da Cultura em Itália (pelas suas notáveis traduções de Dante e Petrarca), ou o Prémio Morgado de Mateus. A sua obra poética está reunida em dois volumes publicados pela Quetzal (Poesia Reunida, 1 e 2, 2012), e entre os seus romances contam-se Naufrágio de Sepúlveda, Partida de Sofonisba às Seis e Doze da Manhã, Quatro Últimas Canções, ou O Enigma de Zulmira. Entre muitos autores, traduziu Shakespeare, Racine, Dante, Corneille, Molière, Rostand, Rilke – mas também autores contemporâneos como Seamus Heaney, Hans Magnus Enzensberger, Gottfried Benn ou Jaime Sabines.